Share this page

IFC e Cocal se unem para impulsionar a energia renovável e melhoria da eficiência energética no Brasil

​São Paulo, 25 de agosto de 2021 — A International Finance Corporation (IFC) está apoiando um novo projeto no Brasil para fortalecer a diversificação da matriz energética no país. O financiamento de US$ 70 milhões (cerca de R$ 350 milhões) para o Grupo Cocal ampliará a produção de etanol e biogás da empresa e contribuirá para a renovação das plantações de cana-de-açúcar, com técnicas agrícolas e climáticas que serão conduzidas em tempo real e com excelente precisão.

O pacote de financiamento consiste em US$ 40 milhões de recursos próprios da IFC e US$ 30 milhões mobilizados com outras duas instituições financeiras, o Banco Itaú BBA e Rabobank. O empréstimo da IFC apoiará o programa de investimento do Grupo Cocal estimado em US$ 92 milhões (aproximadamente R$ 500 milhões), que contempla a construção da unidade de produção de biogás no município de Narandiba (SP), a renovação de 27 mil hectares de cana-de-açúcar e a substituição de máquinas e equipamentos agrícolas. Os recursos dessa linha da IFC serão usados especificamente na construção da planta de produção de biogás e em práticas agrícolas que tenham ganhos verticais na produção, ganhos qualitativos na matéria-prima e utilização de tecnologia e agricultura de precisão.

"A Cocal tem focado em inovação e fortalecido suas práticas de ESG (Environmental, Social and Governance). Dessa forma, o investimento nesses projetos nas áreas industrial e agrícola representa uma solução ambiental e socialmente viável, ao passo que gera produtos versáteis, limpos e competitivos para a região, impulsionando a economia local e o desenvolvimento regional. Ainda, permite à Cocal se enquadrar no Programa RenovaBio ao promover o uso de biocombustível e biofertilizantes, oferecendo uma alternativa fora da cadeia produtiva de base fóssil", explica Paulo Zanetti, Diretor Superintendente do Grupo Cocal.
 
"Este projeto está alinhado com um dos pilares da IFC que é tornar a sustentabilidade ambiental e social um motor do agronegócio. O aumento da participação de biocombustíveis sustentáveis e energia limpa na matriz energética do país é estratégico para que o Brasil alcance a meta estabelecida no Acordo de Paris", afirma Carlos Leiria Pinto, Gerente Geral da IFC para o Brasil.

O investimento da IFC permitirá à Cocal produzir biogás, biometano, CO2 e energia elétrica a partir da vinhaça e da torta de filtro, subprodutos industriais nobres do processo de moagem da cana-de-açúcar, dentro do conceito de economia circular. Inicialmente, o biogás substituirá combustíveis fósseis em indústrias, para onde será distribuído por meio de carretas próprias. A partir de julho de 2022, o produto também será distribuído para residências, comércios, indústrias e veículos na região de Presidente Prudente, Narandiba e Pirapozinho (no Estado de São Paulo), via gasoduto construído em parceria com a GasBrasiliano. Além disso, será usado na substituição do diesel na frota automotiva da empresa, contribuindo para o processo de descarbonização. A Cocal é uma das primeiras empresas a adotar essa tecnologia de produção de biogás a partir de resíduos agroindustriais e a primeira a purificar o biogás para biometano, combustível equivalente e intercambiável ao gás natural, segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).
​​​​
No campo de novas tecnologias, a Cocal é pioneira em uma técnica de plantio desenvolvida em parceria com um reconhecido centro universitário local, a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – Esalq/USP. A técnica conserva o solo e, ao mesmo tempo, evita a erosão, aumentando o potencial de produtividade e permitindo com que a Cocal produza mais sem expansão de terras.

Este é o primeiro financiamento da IFC para a Cocal, fortalecendo sua atuação no setor de açúcar, etanol e energia renovável e agregando valor ao compartilhamento de conhecimento. Os recursos são 100% voltados para combater os efeitos das mudanças climáticas.

O Brasil é o sétimo maior emissor de gás de efeito estufa (GEE) do mundo. Em 2015, o país assinou o Acordo do Clima de Paris com o compromisso de reduzir as emissões de GEE em 43% entre 2005 e 2030. O Brasil também se comprometeu a aumentar a participação de biocombustíveis sustentáveis na matriz energética brasileira para aproximadamente 18% até 2030, expandindo o consumo de biocombustíveis e a oferta de etanol. Uma importante etapa para conquistar essa meta é atingir 45% de energia renovável na matriz energética até 2030. O investimento da IFC na Cocal ajuda um forte player de açúcar e etanol a produzir biocombustíveis sustentáveis, biogás e eletricidade baseada em biomassa por meio da cogeração a partir do bagaço.
 ​
Sobre a IFC
A IFC—membro do Grupo Banco Mundial—é a maior instituição global de desenvolvimento voltada para o setor privado nos mercados emergentes. Trabalhamos em mais de 100 países, usando nosso capital, conhecimentos técnicos e influência para criar mercados e gerar oportunidades nos países em desenvolvimento. No exercício financeiro de 2020, investimos US$ 22 bilhões em empresas privadas e instituições financeiras nos países em desenvolvimento, alavancando o poder do setor privado para erradicar a pobreza extrema e aumentar a prosperidade compartilhada. Para mais informações, visite www.ifc.org.
 
Sobre o Grupo Cocal
A Cocal é um grupo 100% nacional, produtor de cana-de-açúcar, açúcar, etanol, energia elétrica e iniciou suas atividades no mercado de biogás e CO2 neste ano. Com atuação há mais de quatro décadas no setor sucroenergético, suas plantas industriais estão localizadas nos municípios de Paraguaçu Paulista e Narandiba, no interior do Estado de São Paulo, empregando cerca de cinco mil colaboradores diretos. Para mais informações, acesse www.cocal.com.br
 
Fique ligado
www.ifc.org/lac
www.twitter.com/IFC_LAC
www.linkedin.com/company/ifc-américa-latina-y-el-caribe
www.facebook.com/IFCwbg
www.instagram.com/ifc_org/
www.youtube.com/IFCvideocasts
www.twitter.com/IFC_org

www.ifc.org/SocialMediaIndex​